O jornalismo Português

Geralmente não expresso a minha opinião publicamente sobre alguns temas, um deles é que vou abordar a seguir, não resisti!!

O jornalismo em Portugal há muito tempo que deixa a desejar, os jornais televisivos são tendenciosos e parciais, a imprensa escrita diária ainda consegue ser pior, nem o fim de publicações como o 24 Horas abriram os olhos aos jornalistas e editores, como consumidor de informação quero ser informado e não conduzido como atualmente nos tentam fazer, e muito provavelmente estão a conseguir, basta ver as audiências do telejornal da TVI, muita gente está a ser conduzida ou seja não forma a sua opinião com base em factos mas sim em opiniões de outros que são enaltecidos e têm lugares de destaque na nossa comunicação social.

O que me levou a escrever sobre este tema hoje foi um artigo da Manuela Moura Guedes publicada no Correio da Manhã, em que a “jornalista” (note-se as aspas) esclarece o facto de não ter nada contra o José Sócrates mas no entanto previu e alertou nos seus “telejornais” para a situação em que o país se encontra, qualificando também a atual política como criminosa, não discordo que a “jornalista” exponha as suas opiniões em artigos de opinião em jornais com a conotação que o Correio da Manhã tem.

O que gerou a minha indignação foi somente o facto de depois de tudo que a referida “jornalista” fez na televisão, ainda ter o descaramento de admitir publicamente, com o texto que publicou, a cor do seu jornalismo e que não relatava factos na apresentação do telejornal, as 2 horas do jornal que apresentava eram recheadas de opiniões pessoais, previsões e enaltecimento de ódios pessoais.

Embora não dê qualquer valor aos comentadores, que está na moda colocar no fim dos telejornais, creio que essa será a forma correta de dar a voz a alguém para comentar as noticias, sabemos de antemão que é a opinião pessoal de alguém que com certeza tem as suas convicções politicas ou qualquer outro tipo de convicções que torneiam a opinião que vão apresentar. Creio que papel do Pivot seja apenas relatar de forma imparcial e objectiva as noticias que de fato são noticias.

Para corroborar a minha opinião basta ver a mesma noticia em 2 telejornais e avaliar as diferenças ou também ver o destaque dado a cada noticia a avaliar a sua conotação no contexto e na cor do media que a publica.

Artigo do Correio da manhã http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/opiniao/manuela-moura-guedes/eu-vi-o-poceirao

Aconselho a leitura dos comentários! creio que não sou o único a ter esta opinião!!

3 comentários em “O jornalismo Português”

  1. Antonio,

    Na minha opiniao, nao ha problema absolutamente nenhum um jornalista reportar uma noticia do seu ponto de vista, afinal, e impossivel nao o fazer.
    O problema e mesmo nos termos sido habituados a pensar, durante o ultimo seculo, que o jornalismo NAO E influenciado por opinioes pessoas / propaganda.

    E, ja agora, a realidade e que este conceito de “unbiased news” foi inventado para viver mais jornais. Porque, ha mais de 1 seculo atras, as pessoas compravam jornais e nem sequer pensavam nisso (e, penso eu, a maioria ate sabia que o jornal X representa um ponto de vista mais conservador ou liberal).

    O problema foi quando um certo individuo (que agora nao me recordo o nome) se lembrou de publicitar que o SEU jornal “nao era influenciado”, o que foi um sucesso enorme de vendas. Ou seja, pura tecnica de marketing.

    Infelizmente nao encontro referencias para reforcar o que estou a dizer…mas se encontrar depois venho ca deixar links :o).

    Cumprimentos,
    Luis Silva

  2. Não tenho nada contra Jornalismo tendencioso e com opnião, mas que se declare assim, o problema é que em portugal ele é encapotado, escondido por detraz de uma mascara de “jornalismo objectivo e imparcial”, que normalmente serve de rampa para conclusões que os comemtadores vão tirar por nós… conclusões que já tinham sido plantadas pelas notícias “imparciais”.
    A bastante tempo que acho que o grande problema de portugal somos nos, que os politicos que temos apenas tentam agradar ao máximo numero de pessoas de forma a garantir um proxima maioria, eles são assim uma especie de espelho amplificado das nossas vontades, Ora como essas vontades são manipuladas por “jornalistas” ou melhor por linhas editoriais, concluo que boa parte do problema está em quem nos informa….

    Claro que no fundo a culpa volta a ser nossa porque, gostamos de ver os “desgradaçadinhos” da TVI que nos fazem sentir melhor por não sermos iguais, mas depois comemos os artigos colados em que se inssinua que o politico A ou B é culpado porque não quer saber do “caso da vida real” esposto na “noticia” anterior, convenientemente expiando a nossa “culpa” pessoal por ficarmos sentados no sofa enquanto um “desgraçado esta em desgraça neste pais tambem desgraçado”

    A CULPA É NOSSA!

Deixar uma resposta