Validar SAFT PT Versão 1.04

Este é o primeiro mês em que todas as empresas se são obrigadas a enviar a nova versão do SAFT 1.04, que acrescenta algumas informações às já comunicadas nas versões anteriores.

Para garantir que o seu SAFT está correto antes de o submeter no Portal da Autoridade Tributária pode usar o “analisador” fornecido pela AT para validar e detectar erros que o seu ficheiro possa ter!

Para já ainda não está disponível a versão online igual à que foi disponibilizada para as outras versões, terá que usar a versão OffLine que está disponível no link http://info.portaldasfinancas.gov.pt/apps/saft-pt04/validador_v1_04.jar  , não estranhe o ficheiro ser “.jar” isto significa que terá que ter o Java para poder correr este Analisador de SAFT!

Para corrigir possíveis erros no SAFT PT convém sempre consultar o produtor do Software no entanto alguns dos erros podem ter a ver com a informação que está no sistema, seja uma ficha de produto mal preenchida ou um clientes com um dado qualquer inválido, geralmente os erros do analisador mostram o campo onde está o erro, se pesquisar o número do campo no manual do SAFT pode encontrar a origem do erro e corrigir sem ter que recorrer a ninguém!! Também pode dar uma vista de olhos no manual para ter noção de toda a informação que é incluída no ficheiro SAFT 1.04.

http://info.portaldasfinancas.gov.pt/NR/rdonlyres/ACD9174B-FA72-4D80-9E99-760745CC14AA/0/Portaria_302_2016.pdf

Já agora um concelho não usem “validadores” ou analisadores online que não sejam fornecidos pela AT ou pelo produtor do Software que usam, porque não sabem a quem estão a dar acesso à Faturação, Produtos, Preços, Guias de Transporte, etc… da vossa empresa!!

WordPress Importar Blogspot

O blogger é muito bom e gratuito mas também limitado em alguns aspetos, quando o blogspot não chega a solução pode passar por migrar para o WordPress.
O WordPress facilita esta migração ao disponibilizar uma ferramenta própria para o efeito, para a usar basta ir ao Painel do WordPress, seleccionar Ferramentas e clicar em “Importar”, nesta página surgem vários “importadores” de várias plataformas entre as quais o Blogger… seleccionamos “Instalar Agora” e o plugin de importação será instalado.

É Também possível importar do Blogroll, LiveJournal, Movable Type e TypePad, Tumblr e de sites alojados no WordPress.com.

Este importador importa o ficheiro xml exportado no Blogger, para gerar o ficheiro tem que fazer login no Blogger e ir a Definições -> Outros e seleccionar “Criar Cópia de Segurança de Conteúdo” será gerado um ficheiro com os posts.

Com o ficheiro do Blogger guardado voltamos ao painel do WordPress à página Importar e iniciamos o processo de importação basta seleccionar o novo autor para os posts e aguardar… quando o processo terminar todos os artigos da cópia estarão Publicados no WordPress.

 

 

Microsoft Disponibiliza correção para proteger contra o Wana Decrypt0r (KB4012598)

A Microsoft já tinha libertado a atualização para os sistemas operativos que está a comercializar ou em período de suporte neste momento, deixando de fora os sistemas operativos que já estão fora do período de suporte como por exemplo o popular Windows XP.

Dada a gravidade do ataque que está em curso e prevendo outros que se seguirão usando a mesma falha, a Microsoft abriu uma excepção e libertou a correção para sistemas operativos fora do período de atualizações, a correção está disponível para os sistemas:

  1. Windows XP
  2. Windows XP Embedded
  3. Windows Server 2003,Windows Server 2003, Datacenter Edition
  4. Windows Vista
  5. Windows Server 2008

para fazer download basta aceder a esta página fazer download e instalar (é necessário reiniciar após a instalação)!
http://www.catalog.update.microsoft.com/Search.aspx?q=KB4012598

Apache Instalar LetsEncrypt no Debian (Certificado SSL grátis!)

O Lets Encrypt  é um serviço que permite obter certificados digitais gratuitos, para permitir de uma forma fácil e gratuita disponibilizar https em qualquer site.

Os passos que enumero a seguir são para utilização no Debian (em distribuições derivadas como Ubuntu, Mint, etc.. deve funcionar! com sudo!)

Antes de começar é necessário já ter o Apache ou Ngix instalado e configurado para responder na porta 80 e 443!

Caso ainda não tenha git instalado temos que o instalar com o comando:
apt-get install git
A seguir fazemos um clone do repositório do GitHub:

git clone https://github.com/letsencrypt/letsencrypt

Antes de prosseguir é conveniente já ter a porta 443 reencaminhado para o servidor, pois durante o processo haverá uma validação do Lets Encrypt, em que há uma ligação à porta 443 para verificação!

Para o script configurar automaticamente os virtual hosts com SSL é necessário que o modulo ssl já esteja ativo no apache :
a2enmod ssl

Se não houver ficheiros de configuração para os hosts virtuais estes serão criados com as configurações corretas.

E por ultimo é só ir ao directório onde foi clonado o repositório e correr o script automático:

cd letsencrypt
./letsencrypt-auto

Este comando vai verificar se os pacotes necessários existem no sistema e caso não existam instala!

Quando as dependências estiverem satisfeitas um wizard questionará quais os sites configurados no Apache é que queremos configurar para usar ssl.

Caso o site tenha todo o conteúdo servido por https o icon da barra de endereço ficará verde… caso não fique ou haja algum aviso de “mixed content” pode ser necessário modificar o código do site para carregar scripts, css , imagens e outros conteúdos por https, ou deixar que o browser decida omitindo o prefixo do url (http ou https), por exemplo uma imagem carregada como img rsc=”http://antoniocampos.net/imagem.png” deverá ficar apenas img src=”//antoniocampos.net/imagen.png”, a omissão de protocolo é suportado por todos os browser recentes.

ssl

DIG – Testar configuração DNS

O comando dig em Linux é bastante útil para “ler” informações do sobre as configurações de DNS de um domínio e permite também indicar de que servidor queremos obter essa informação, se por exemplo estamos a configurar um novo servidor DNS para um domínio podemos com o dig testar as configurações que o novo servidor tem sem ter que alterar os servidores dns do domínio… permitindo alterar apenas os servidores dns quando estiver tudo OK.

O google “oferece” uma ferramenta que permite usar o comando dig numa interface web sem ter que se saber a sintaxe de cada switch do comando, podem usar no Caixa de Ferramentas do Google, nesta toobox existem outras ferramentas úteis para testar por exemplo a configuração dos registos MX, ou fazer debug aos cabeçalhos de uma mensagem de email para saber por onde passou antes de chegar ao destino.